Terfezia morenoi

Terfezia morenoi Bordallo, Ant. Rodriguez & Morte, Persoonia 40: 325. 2018. [pdf]

MycoBank MB823725

AUTORES: Marcos Martínez J. & Martinez Martínez J.A.
Classificação taxonómica

phy Ascomycota

sbp Pezizomycotina

cls Pezizomycetes

sbc Pezizomycetidae

ord Pezizales

fam Terfeziaceae

gen Terfezia

sp Terfezia morenoi

Descrição

Ascoma subgloboso, estreitando-se para a base, de tamanho médio, de 2 a 5 cm de diâmetro. Inicialmente de cor creme pálido que evolui para castanho com a manipulação ou com a idade, geralmente com pequenas manchas negras e tendência a rachar em espécimes adultos expostos ao sol. Perídio fino e pouco delimitado, com 250-500 µm de espessura, branco quando cortado, com aspecto pseudoparenquimatoso, constituído por células subglobosas amareladas de paredes finas, com 20-50 µm. Gleba carnuda, compacta, inicialmente branca, que ao amadurecer apresenta nódulos arredondados acinzentados pálidos que, com a idade, passam a verde acinzentado, separados por veios estéreis brancos, às vezes com tons rosados ou salmonados, frequentemente com pequenos orifícios produzidos por insectos micófagos. Odor intenso em espécimes maduros, desagradável na senescência. Sabor agradável. Reacções macroquímicas não verificadas.

Ascosporos subglobosos, com 16-19 µm (incluindo a ornamentação), hialinos, lisos, unigutulados, ornamentados com espinhos cónicos, pontiagudos, bastante estreitos e distantes, com 1-2 µm de comprimento e 1 µm de espessura na base. Ascos geralmente octospóricos, não amiloides, elipsoidais, com 50-100 x 50-60 µm.

Habitat e distribuição

É uma espécie micorrízica de fungo hipógeo descrita originalmente com material proveniente da província de Albacete, que posteriormente foi observada em outras províncias espanholas, mas até ao momento não se conhece a sua presença em outros países mediterrânicos. Caracteriza-se por formar “queimadas” em redor da planta hospedeira, frutificando geralmente de forma solitária ou em pequenos grupos, em zonas mediterrânicas, de meados de Fevereiro a meados de Abril, sendo a primeira espécie a frutificar em solos básicos da metade leste da Península Ibérica.

Frutifica de forma hipógea, emergindo à superfície quando madura, deixando fissuras e pequenos montículos bem visíveis que permitem a sua colheita sem a ajuda de cães treinados. Geralmente aparece em áreas abertas e nas margens dos caminhos em bosques de Pinus halepensis, Pinus pinaster e Quercus rotundifolia, sem a presença de plantas da família Cistaceae, em solos calcários, argilosos ou até descalcificados. Também foi encontrada em matas de Pinus pinaster queimadas dois anos antes, onde os pinheiros se mantinham vivos.. Esp.: Ab, Cu, Gr, Lo, Na, To, V, Va.

Referências da espécie no território
  • BORDALLO J.J.; RODRÍGUEZ, A.; MUÑOZ, J.M., SUZ, L.M.; F.; HONRUBIA, M. & MORTE A. 2013: Cinco novas espécies de Terfezia da Península Ibérica. Mycotaxon 124: 202-204 (Esp.: Ab, V, Va; sub Terfezia olbiensis) [pdf]
  • KOVACS, G.M., BALAZS, T.K., CALONGE, F.D. & M.P. MARTÍN 2011. A diversidade das trufas do deserto Terfezia: novas espécies e um complexo de espécies altamente variável com heterogeneidade intrasporocárpica do nrDNA ITS. Mycologia 103 (4): 841-853 (sub T. aff. olbiensis, Esp.: To, Va) [pdf]
  • CROUS & col. 2018. Terfezia morenoi. Fungal Planet description sheets: 716-784. Persoonia 40: 324-325 (Esp: Ab, Lo, V, Va) [pdf]
  • ZITOUNI-HAOUAR, F.E-H.; CARLAVILLA, J.R.; MORENO, G.; MANJÓN, J.L. & FORTAS Z.. 2018. Diversidade genética do género Terfezia (Pezizaceae, Pezizales): novas espécies e novo registo do Norte de África. Phytotaxa 334 (2), 185 (sub Terfezia olbiensis, Esp.: Gr) [pdf]
Espécimes em coleções científicas

Material sequenciado (ITS). Em negrito, material estudado pelos autores da ficha. JMM (herbário J. Marcos).

Ab: MUB Fung-jO12, MUB Fung-jO13*, MUB Fung-jO14*, MUB Fung-j257*, MUB Fung-j822*, MUB Fung-j248*, MUB Fung-j250*, MUB Fung-j251* (holotypus).

Cu: JMM0092*, JMM0093*
Gr: AH46143 (sub olbiensis)
Lo: MUB Fung-j325*, MUB Fung-j326*.
Na: PSS.103.001
To: MA: FU 5408 (sub aff. olbiensis)
V: MUB Fung-jO39.
Va: MUB Fung-jO34, MA: FU 54676 (sub aff. olbiensis)

Sequências em bases de dados públicas e obtidas de material do território

 

Fig 1. Ascomas em diferentes estados de maturação de T. morenoi (JMM0092). Fotografia J. Marcos.

Fig 2. Ascomas imaturos de T. morenoi (JMM0092). Fotografia J. Marcos.

Fig 3. Ascomas imaturos de T. morenoi (JMM0093). Fotografía J. Marcos.

[

Fig 4. Ascomas imaturos de T. morenoi (JMM0092). Fotografía J. Marcos.

Como citar esta ficha:

Marcos Martinez J. & Martinez Martinez J.A. 2023. Terfezia morenoi. Fichas SIM 43 (Atualizada em 28-IX-2023). DOI: https://doi.org/10.51436/SIMsheets/2023/43.
Disponível em: https://micologiaiberica.org/pt-pt/services/terfezia-morenoi/